Como é calculado o valor do condomínio?

Estilo de vida

Na hora de se planejar para conquistar a casa própria, é muito importante colocar todos os valores que serão gastos na ponta do lápis. Além de buscar por um financiamento que ofereça bons benefícios, se você estiver pensando em se mudar para uma casa em condomínio, também vai precisar calcular os custos com o valor do condomínio.

No entanto, essa tarefa pode parecer um pouco difícil para quem nunca morou em condomínio. Mas, para ajudar a tirar todas as suas dúvidas e entender como é feito o cálculo do valor do condomínio, preparamos esse artigo com todas as informações que você precisa para alcançar o sonho da casa própria. Confira!

Como funciona um condomínio?

Como funciona um condomínio | Blog Alea

Se você está pensando em se mudar para um condomínio, deve estar se perguntando como funciona o dia a dia nesse tipo de habitação. Em primeiro lugar, você deve ter em mente que condomínio é um espaço compartilhado entre vários proprietários, que pode ser usado como meio comercial ou residencial, por exemplo.

Sendo assim, além de dividir o valor total do imóvel, os moradores também compartilham os espaços públicos entre si. Com isso, cada dono possui uma unidade, podendo escolher a metragem do imóvel no momento da compra. Acima de tudo, esses detalhes vão depender do quanto você poderá pagar e do tamanho de casa que deseja ter.

Quais são os funcionários de um condomínio?

Para que você possa entender melhor a formação de um condomínio, precisa conhecer os profissionais que estão envolvidos nos processos diários e que garantem o bom funcionamento da comunidade.

Condômino

Um condômino nada mais é do que o morador ou proprietário do imóvel. Assim, também é considerado condômino alguém que não necessariamente mora na unidade, mas que comprou ela.

Síndico

O síndico é uma das figuras mais importantes para o bom funcionamento de um condomínio, já que a sua função é cuidar de toda a estrutura e se responsabilizar pelo bem-estar dos moradores. Para esclarecer, o síndico não precisa ser morador, pode ser uma pessoa contratada, especializada em administração de condomínio.

Acima de tudo, o síndico tem o papel de cumprir a Convenção do Condomínio e também o Regimento Interno, assim como assegurar que os condôminos também desempenhem seus papéis.

Corpo de funcionários

Funcionários | Blog Alea

O quadro de funcionários é uma classificação que inclui todas as pessoas empregadas pelo condomínio, como por exemplo:

  • Zelador: é uma das figuras mais importantes, afinal, é o responsável por consertos e reparos, na maioria das vezes. Em alguns casos, o zelador pode ser o síndico;
  • Jardineiro: são todas as pessoas responsáveis pelo paisagismo e jardinagem geral do condomínio;
  • Profissionais de limpeza: essenciais para manter os ambientes sempre limpos e organizados, os profissionais da limpeza cuidam de todos os serviços relacionados a higiene nas áreas comuns do condomínio. É importante ressaltar que, para fazer a limpeza da sua unidade, você deve contratar profissionais por conta própria;
  • Porteiro: o porteiro é o responsável pela portaria, pelo controle de entrada e saída de visitantes e também pelo contato com os moradores sobre encomendas e avisos, por exemplo;
  • Segurança: por fim, os seguranças ficam responsáveis pelo monitoramento diário das dependências do condomínio, evitando qualquer risco ou problema para os condôminos.

Visitantes

As pessoas que transitam pelo condomínio, mas que não possuem ligação direta (como é o caso dos moradores e dos funcionários ou prestadores de serviço), são chamadas de visitantes. Normalmente, os visitantes são os familiares e amigos dos condôminos, ou convidados em casos de festas organizadas pelos moradores nos espaços comuns.

Administradora

A administradora é uma empresa que cuida de todas as questões que envolvem a gestão e organização das áreas comuns e das necessidades dos moradores, como por exemplo as finanças e burocracias.

A contratação da administradora é opicional. Em outras palavras, os proprietários podem contratar o serviço ou podem apenas contar com o trabalho do síndico. No entanto, a administradora costuma ser uma forma mais fácil de resolver certos problemas, já que você terá uma equipe especializada para cuidar desses assuntos.

Qual é a diferença entre morar em condomínio fechado e em bairro?

Para quem sempre esteve acostumado à morar em bairros comuns, fora de condomínios fechados, se mudar para um apartamento ou casa em condomínio pode ser uma grande mudança. Para entender melhor, vamos te explicar as principais diferenças entre os dois.

O condomínio fechado é a opção mais buscada por pessoas que querem morar em um lugar mais seguro, afinal, a maioria possui estrutura adequada e preparação para reforçar a segurança de todos os moradores. Com isso, é muito comum encontrar diversos itens de segurança em condomínios: portaria 24 horas, sistema de vigia interna, câmeras de segurança, cerca elétrica e muitos outros serviços.

Por outro lado, as pessoas que moram em bairros abertos, na maioria dos casos, não podem contar com esses serviços, e sim apenas com serviços públicos, como a patrulha feita pela polícia ou pela guarda noturna. Essa é uma das principais diferenças entre morar em casa e em condomínio fechado.

Assim como a segurança, quem mora em condomínio também tem à sua disposição espaços para prática de atividades físicas, recreação para crianças, salão de festas, churrasqueira e outras instalações que só poderiam ser feitas em casa considerando a sua escolha pessoal, saindo bem mais caro do que as taxas pagas no valor do condomínio.

Vantagens de morar em condomínio

Vantagens de morar em condomínio | Blog Alea

O aumento na busca por condomínios de casas à venda não é à toa. A série de benefícios que um condomínio apresenta é realmente um diferencial para muitas pessoas na hora de escolher aonde morar. Muito mais do que apenas segurança e lazer, essas vantagens proporcionam conforto, tranquilidade e bem-estar.

Segurança

Além de ser uma das principais vantagens, morar em um condomínio com itens de segurança é um fator decisivo na hora de fechar com a construtora. Ainda mais, contando com todos os serviços de proteção de um condomínio, como portaria 24 horas, monitoramento por câmeras e com guardas, é mais fácil ficar tranquilo e poder não se preocupar se você e a sua família poderão correr qualquer risco.

Como o custo com o investimento em segurança é dividido entre os vizinhos, ele acaba saindo mais em conta do que se os moradores contratassem a segurança para uma casa em bairro aberto.

Lazer

Assim como as opções que oferecem mais segurança para os moradores, os espaços e instalações de lazer são ótimas oportunidades para incentivar a saúde e bem-estar, levando também mais economia para os condôminos. É claro que, tudo vai depender da infraestrutura que o condomínio escolhido apresentar. Mas, boa parte deles conta com boas áreas de lazer.

Como resultado, você e a sua família terão à disposição espaços para levar as crianças para brincarem e também instalações que contribuem para a prática de atividade física, por um preço menor do que seria pago individualmente.

Privacidade

Se você é uma pessoa que está procurando por uma casa com mais privacidade, morar em um condomínio fechado de casas é uma ótima escolha. Em outras palavras, você terá um controle maior das visitas, e também terá o seu próprio espaço, ao invés de precisar investir na construção de muros e colocar trancas e cadeados nos portões, como muitas pessoas que moram em bairros comuns fazem.

Além disso, os condomínios possuem regras em relação à barulhos externos, o que não acontece fora deles. Isso porque na maioria desses empreendimentos, existe a aplicação da Lei do Silêncio, uma regra que exige que os moradores não provoquem som alto depois das 22h da noite e antes das 8h da manhã. Caso os moradores não cumpram a Lei do Silêncio, eles poderão ser multados e até mesmo perderem o imóvel.

Mas, caso o problema ainda não seja resolvido, você pode contatar o vizinho através da portaria, pedindo para ele diminuir o volume. Por isso, morar em condomínio é uma ótima forma de garantir mais privacidade e conforto no seu lar.

Manutenção

Manutenção | Blog Alea

Como você sabe, além de ter que cuidar das tarefas diárias de casa, de vez em quando, também vai precisar gastar energias com as demandas que precisam ser feitas em períodos específicos de tempo.

Entretanto, a vida em condomínio costuma ser um pouco mais fácil nesse quesito, já que a maioria dos cuidados com manutenção ficará por conta do zelador. Inclusive, o custo com a manutenção é dividido entre os moradores na hora de pagar a taxa condominial, saindo mais barato do que se fosse pago separadamente.

Por isso, caso você precise fazer algum ajuste, como consertar um cano quebrado por exemplo, terá o zelador à sua disposição.

Boa convivência com os vizinhos

Não é raro encontrar amizades entre vizinhos que durem a vida toda. Ao morar em condomínio, esses vínculos se tornam cada vez mais fortes, já que é possível praticar muitas atividades nas áreas comuns do local em conjunto com os outros moradores. Afinal, é muito mais fácil morar em um lugar em que você pode contar com alguém, né?

Esse benefício de morar em condomínio também é bom para as crianças, que ganharão mais oportunidades de socializar e brincar com outras crianças, complementando o seu desenvolvimento social.

Divisão dos custos

Apesar de muitas pessoas dizerem que morar em condomínio é caro, existem muitas oportunidades para conquistar a casa própria diminuindo o custo do imóvel, como por exemplo através do programa Casa Verde e Amarela, que oferece benefícios para famílias de baixa renda.

Ainda mais, todos os itens e serviços do condomínio são pagos por todos os moradores, em formato de divisão de custos. Assim, o preço fica mais barato do que se você pagasse por esses serviços sozinho, se morasse fora do condomínio.

Conheça os principais serviços de um condomínio

Serviços | Blog Alea

O cálculo das despesas de um condomínio é feito de acordo com os espaços e serviços oferecidos para os moradores. Saiba quais são os principais tipos de serviços em um condomínio:

Portaria

É a porta de entrada para os moradores, visitantes ou prestadores de serviços acessarem o interior do condomínio. Normalmente, o porteiro é o responsável pelo controle de pessoas no condomínio. Entre outras funções do porteiro, estão:

  • Autorizar a entrada de pessoas no condomínio;
  • Solicitar informações dos visitantes;
  • Realizar o cadastro de documentos pessoais dos moradores e visitantes;
  • Confirmar com o morador se a visita está liberada.

Basicamente, a função da portaria é garantir que pessoas estranhas não consigam acessar as casas e os moradores, estabelecendo um conjunto de regras para sempre colocar a segurança em primeiro lugar. Além disso, a portaria também será responsável por comunicar a chegada de encomendas, como pedidos via delivery e compras feitas pela internet, por exemplo.

Áreas de lazer

As áreas de lazer são os espaços públicos onde os moradores podem praticar uma série de atividades: exercício físico, recreação com crianças, caminhadas, piqueniques e muito mais. Dessa forma, a função desses espaços é proporcionar mais qualidade de vida, incentivada também pelo contato que os moradores poderão criar com seus vizinhos.

Com isso, os espaços de lazer acabam sendo uma grande vantagem para os moradores, que ao invés de gastarem com academias, por exemplo, vão poder realizar atividades físicas sem sair se casa e pagando menos, já que o custo das áreas é dividido entre todos os proprietários.

Em conclusão, é possível encontrar muitas instalações nas áreas de lazer do condomínio, como playgrounds, redário, brinquedoteca, bicicletário e espaço para caminhadas.

Salão de festas

Assim como as áreas de lazer, os espaços para festas também fazem parte do cálculo da taxa que gera o valor do condomínio. Neste caso, o salão de festas é o local para fazer festas de aniversário, comemorações familiares, festas de final de ano e muitas outras ocasiões, desde que você faça o agendamento prévio com a administração do condomínio.

Com isso, escolher um condomínio para morar que conte com essa estrutura também acaba sendo mais vantajoso, já que você não vai precisar alugar um espaço por fora caso queira fazer uma festa.

Estacionamento

Para atender a todos os moradores que tem carro, alguns condomínios contam com estacionamento. Sabendo disso, será necessário verificar com a administradora se as vagas são cobertas ou não e também se existe o rodízio entre os carros. Basicamente, o rodízio consiste na divisão das vagas entre os vizinhos.

Além dos serviços apresentados anteriormente, alguns condomínios podem contar com piscina, salão de jogos e outros tipos de instalações. Por isso, lembre-se sempre de consultar a administração sobre o que você terá direito.

Como funciona a organização de um condomínio?

Convenção do condomínio | Blog Alea

Para que o condomínio funcione da forma correta, atendendo à todas as necessidades e desejos dos moradores, foi necessário criar a Lei 4591/64, que deve ser cumprida tanto pelos condôminos quanto pelos funcionários. Como resultado, a maioria dos condomínios estabelece regras de convivência. A seguir, conheça as principais!

Assembleia Geral do Condomínio

Basicamente, a Assembleia Geral do Condomínio é uma reunião entre os moradores e a gestão do condomínio sobre todas as decisões que serão tomadas e também as normas que devem ser seguidas, priorizando o bem-estar de todos.

Aqui, os moradores e gestores do condomínio irão tratar de temas relacionados a: aprovação de despesas, valor do condomínio, votação para síndico e prestações de contas no geral.

A Assembleia Geral do Condomínio é o espaço adequado para que os moradores levem seus desejos e insatisfações, para que tudo possa ser resolvido da melhor forma. Aqui, devem ser apontados problemas da comunidade, que podem estar relacionados com estrutura ou não.

Convenção do Condomínio

Se você está pensando em se mudar para um condomínio, já deve ter ouvido falar na Convenção do Condomínio, um documento com as principais regras de convivência e de administração. Ainda mais, este documento é registrado em cartório de imóveis, para assegurar que as normas estabelecidas serão cumpridas.

A Convenção do Condomínio funciona como um guia para que o síndico possa se orientar e também informar os moradores, tirando as dúvidas que surgirem. Em suma, todo morador deve ter uma cópia da convenção para poder consultar quando precisar.

Regimento Interno

Para concluir, o Regimento Interno é parecido com a Convenção do Condomínio, apenas com a diferença de que neste documento, estão prescritas regras sobre o comportamento da comunidade. Aqui, você encontra todas as informações sobre os direitos e deveres que os moradores, funcionários, prestadores de serviço e visitantes devem ter.

No entanto, é comum que as regras do Regimento Interno estejam mais relacionadas as boas práticas dentro do condomínio, como em relação ao uso das áreas comuns.

O que é a taxa de condomínio?

Taxa de condomínio | Blog Alea

Como já citado anteriormente, ao planejar o cálculo do valor do condomínio, é necessário incluir as taxas que deverão ser pagas todo mês.

Nesse sentido, a taxa de condomínio é um valor mensal que o condômino paga para poder usar os espaços comuns, assim como para poder permanecer morando no empreendimento. A partir disso, a administradora do condomínio usa esse valor para pagar os profissionais que trabalham lá.

Normalmente, a taxa condominial costuma ter um preço justo, considerando todas as instalações e serviços que existem. No entanto, algumas pessoas podem achar o valor da taxa muito alto. Neste caso, é necessário considerar tudo o que o condomínio oferece e o quanto você irá economizar. Afinal, como sabemos, esses serviços sairiam por um preço bem mais caro morando fora do condomínio.

Para resumir, mesmo os proprietários que não moram no apartamento devem pagar a taxa do condomínio. Além disso, lembre-se que, se você for um cliente inadimplente, estará prejudicando os demais moradores.

E se eu não pagar a taxa de condomínio?

Primeiramente, você precisa consultar a Convenção do Condomínio para saber se a taxa é obrigatória ou não. Mas, caso seja e você deixe de pagar, se tornando inadimplente, poderá sofrer advertências, multa e juros por atraso, podendo até mesmo ter o nome negativado e o CPF incluído em órgãos de proteção ao crédito e, consequentemente, perder o imóvel.

Apesar disso, vale lembrar que as medidas tomadas sempre vão depender da administradora do seu condomínio. O mais importante é evitar a inadimplência, se planejando com antecedência para pagar a taxa de condomínio.

O que define o valor do condomínio?

A estrutura de um condomínio, com os itens e serviços que ele oferece, assim como o corpo de funcionários são apenas alguns dos custos que o morador irá pagar. Em outras palavras, o morador irá custear tudo o que a administradora precisa manter para o condomínio em ordem.

Portanto, todos os gastos são calculados e divididos pelo número de unidades existentes no condomínio, ou seja, cada morador paga pelo imóvel que possui. Com isso, saiba o que realmente vai definir o valor do condomínio:

  • Número de funcionários, afinal, a taxa condominial custeia o pagamento de cada colaborador;
  • Serviços prestados pelo condomínio (área de lazer, segurança, manutenção);
  • Número total de condôminos, para ratear essas despesas.

Quais são os serviços que definem o valor da taxa de condomínio?

Taxa do valor do condomínio | Blog Alea

A taxa condominial é calculada somando o valor dos serviços e itens disponíveis para os condôminos. Mas, você sabe quais são esses itens? A seguir, confira quais são os principais serviços inclusos.

1. Contas das áreas comuns

Além de pagar contas de serviços que você consome no seu condomínio, você terá que arcar também com as despesas de água, luz e internet. Para esclarecer, os profissionais da administração cobram essas contas dos espaços comuns, sendo divididas entre os moradores. Sabendo disso, vale a pena separar uma quantia para destinar para as contas gerais.

2. Pagamento dos funcionários

Em primeiro lugar, a taxa de condomínio pode equivaler a 50% do valor pago aos funcionários que trabalham diariamente para manter tudo em ordem. Ainda mais, é preciso prever também o pagamento de direitos trabalhistas, como:

  • FGTS;
  • INSS;
  • Décimo-terceiro;
  • Férias;
  • Rescisão;
  • Benefícios;
  • Vale-transporte;
  • Hora extra.

A taxa de condomínio também pode incluir o ISS (Imposto Sobre Serviço) ou não. Tudo vai depender da gestão de administração.

3. Pagamento de manutenção

Assim como as contas gerais, os custos com manutenção de equipamentos e espaços públicos também estão inclusos na taxa de condomínio. Dessa forma, o pagamento pode estar relacionado com reparos nos elevadores, piscinas, pintura, produtos de limpeza, entre outros.

4. Gastos administrativos

Esses gastos estão relacionados com os serviços de administração e gestão contratados para o condomínio. São exemplos: pagamento da administradora, taxas bancárias, isenção do pagamento do síndico em relação a taxa, e muito mais.

5. Fundo de reserva para o condomínio

Alguns condomínios montam um fundo de reserva para poder arcar com possíveis gastos não previstos. Em outras palavras, é como se a gestão fizesse uma poupança, formada pelo valor pago na taxa do condomínio.

Digamos que o condomínio tenha que passar por uma reforma não planejada. Para o bem e segurança de todos, o ideal é que o fundo de reserva esteja abastecido. Dessa forma, é dever da administração sempre informar os moradores em relação ao dinheiro que está sendo poupado.

Por outro lado, o condomínio deve cobrar apenas entre 5% e 10% dos moradores no cálculo da taxa, para que os condôminos não sejam prejudicados financeiramente.

Entenda a importância de calcular o valor do condomínio

Qual é a importância de calcular do valor do condomínio | Blog Alea

Para concluir, o valor do condomínio é calculado considerando todas as despesas que a administradora terá para manter os ambientes funcionando da forma correta. Além disso, quanto maior o número de unidades por empreendimento, menor o custo das taxas de condomínio.

Por isso, é importante que na hora em que você for escolher o condomínio fechado para morar, considerar principalmente o valor da taxa de condomínio, o número de unidades existentes, quais serviços e itens são ofertados e claro, o valor do imóvel.

Agora que você já sabe como se planejar para conquistar a sua casa em condomínio, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre a Alea e como ela pode te ajudar. Em nossa Loja Virtual, você encontra todas as nossas casas à venda em São Paulo, encontrando boas opções para fazer um financiamento imobiliário e tornar essa conquista ainda mais acessível.

Para continuar por dentro de todos os assuntos, curta a página da Alea no Facebook e nos siga no Instagram.

Conheça a Alea

Alea nasceu com o propósito de proporcionar para você a oportunidade de morar em um condomínio de casas com segurança, conforto e qualidade de vida. Todos os residenciais priorizam um grande contato com a natureza e oferecem a liberdade de viver em espaços amplos, abertos e ao ar livre.

São casas não geminadas e sem muros, em condomínios fechados que contam com projetos arquitetônicos e de paisagismo, focados no seu bem estar. Além de uma nova forma de morar, a Alea se diferencia pelo alto padrão e tecnologia, pois possui um método construtivo internacionalmente reconhecido, o wood frame. Todas as casas possuem paredes com 8 camadas, que entregam resistência, durabilidade, conforto térmico e acústico.

Aquele seu sonho de morar em um condomínio de casas agora pode se tornar realidade. A Alea é uma das grandes parceiras do Casa Verde e Amarela, por esse motivo, você pode usar todas as vantagens e benefícios do programa no financiamento da sua casa. Vem escolher a sua!

Escrito por:

Autor do post | Logo Alea | Condomínio de casas | Casas Alea

A casa dos seus sonhos. Possível. Acessível. Viável.

Saia do aluguel e conquiste a sua Alea. Dê o primeiro passo agora!

Ops! Precisamos saber sua região.
Ops! Precisamos saber seu nome.
Ops! Precisamos saber seu WhatsApp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.