Saiba tudo sobre as taxas de juros do Casa Verde e Amarela

Tudo sobre Casa Verde e Amarela

Apesar do sonho de conquistar a casa própria, muitas famílias brasileiras não possuem condições financeiras de pagar por um imóvel. Foi pensando nisso que o Governo Federal trouxe mais melhorias para o programa habitacional Casa Verde e Amarela (PCVA), substituto do Minha Casa Minha Vida (MCMV), que tem como missão ajudar pessoas com baixa renda à saírem do aluguel. Com isso, uma das principais mudanças foram as alterações nas taxas de juros, que agora são diferentes, dependendo do estado e região de onde você mora.

Quer entender como aconteceu a modificação das taxas de juros e quanto você irá pagar? Continue a leitura.

O que é o Casa Verde e Amarela?

O que é o Casa Verde e Amarela | Blog Alea

O programa Casa Verde e Amarela é uma atualização do Minha Casa Minha Vida, lançado em 2020 com o objetivo de conduzir mais melhorias e benefícios para a população. Basicamente, os dois possuem a mesma meta: levar a casa própria ao alcance das famílias de baixa renda do Brasil.

O novo projeto do Governo Federal surgiu com a necessidade de facilitar ainda mais esse processo. Dessa forma, foram feitas mudanças nas faixas de renda e nas taxas de juros. Por exemplo, no Minha Casa Minha Vida eram 4 faixas. Já no Casa Verde e Amarela são apenas 3, distribuindo as rendas em grupos.

No anterior, as taxas de juros eram as mesmas para cada região do Brasil. Agora, elas se diferenciam entre estados e regiões específicas. Porém, os principais benefícios do programa permaneceram os mesmos: é possível utilizar a composição de renda, o subsídio, o FGTS no pagamento das parcelas e mais vantagens que vamos ver a diante.

Quais são as principais diferenças entre o Casa Verde e Amarela e o Minha Casa Minha Vida?

As principais diferenças entre o Casa Verde e Amarela e o Minha Casa Minha Vida estão relacionadas com a nova divisão de grupos de renda e as taxas de juros. Por outro lado, o que não mudou foram os benefícios do programa, como o subsídio, a composição de renda e o uso do FGTS nas parcelas.

Essas mudanças vieram para facilitar ainda mais essa conquista com as famílias, já que as taxas de juros são as menores da história do FGTS e os grupos de renda abrangem mais pessoas.

Quem pode participar do Casa Verde e Amarela?

Para participar do programa e ter direito a série de benefícios que ele oferece, é necessário se encaixar em alguns requisitos, como: ser maior de idade, brasileiro ou naturalizado, não ter nenhum apartamento ou casa em seu nome, assim como não ser registrado no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT) e também não possuir outros financiamentos ativos ou já ter recebido algum benefício do Governo Federal.

Resumindo, outra regra do programa é se encaixar em um dos grupos de renda. Assim, sabendo qual é a faixa em que você pode participar, você também descobre se terá direito ao subsídio e qual o valor das taxas de juros do seu financiamento.

A seguir, entenda mais sobre como funcionam os grupos de renda.

Grupos de renda do Casa Verde e Amarela

Grupos de renda Casa Verde e Amarela | Blog Alea

Como já visto, o programa Casa Verde e Amarela conta com novas faixas de renda, se diferenciando do Minha Casa Minha Vida. Essa mudança tem como missão incluir mais pessoas nos 3 grupos. Abaixo, confira como eram as faixas no MCMV, como ficaram no PCVA e entenda a diferença entre cada uma:

Minha Casa Minha Vida

Faixa 1

Para famílias com renda de até R$1.800.

Faixa 1,5

Para famílias com renda de R$1.800,01 até R$ 2.600.

Faixa 2

Para famílias com renda de R$2.600,01 até R$4.000.

Faixa 3

Para famílias com renda de R$4.000,01 até R$7.000.

Casa Verde e Amarela

Grupo 1

Para famílias com renda de até R$2.400.

Grupo 2

Para famílias com renda de R$2.400,01 até R$4.400.

Grupo 3

Para famílias com renda de R$4.400,01 a R$ 8.000.

É importante saber que as taxas de juros e o subsídio, por exemplo, são calculados de acordo com as faixas de renda. Dessa forma, é preciso que você se encaixe em uma delas para participar do programa e contar com essas vantagens.

Como comprovar a minha renda no Casa Verde e Amarela?

Uma das dúvidas mais comuns antes de tentar o financiamento do programa Casa Verde e Amarela é se pessoas autônomas também podem participar. Sim, as duas categorias (pessoas com carteira assinada e as que trabalham por conta própria) estão aptas. Entretanto, a forma de comprovar renda para ambos é diferente.

Para autônomos, é permitido utilizar extratos bancários, Declaração do Imposto de Renda ou o Pró-Labore. Por outro lado, os trabalhadores assalariados devem apresentar o holerite (um informe de rendimentos que é emitido pela empresa aonde você trabalha) do mês atual, também a Declaração do IR, o INSS e o eSocial. Igualmente, sempre consulte os solicitantes para saber se os documentos que serão levados estão corretos.

Quais são as novas taxas de juros do Casa Verde e Amarela?

Anteriormente, as taxas de juros do Minha Casa Minha Vida funcionavam com base nas faixas de renda que você conheceu. Todavia, com a mudança no programa Casa Verde e Amarela, com o objetivo de facilitar ainda mais essa conquista para famílias de baixa renda, elas ficaram diferentes. Confira:

Taxas de juros do Minha Casa Minha Vida

Faixa 1 e 1,5

  • Para todo o Brasil

Cotista: 4,50%

Não cotista: 5,00%

Faixa 2

  • Para todo o Brasil

Cotista: 5,00% a 6,50%

Não cotista: 5,00% a 7,00%

Faixa 3

  • Para todo o Brasil

Cotista: 7,66%

Não cotista: 8,16%

Taxas de juros do Casa Verde e Amarela

Grupo 1

  • Região Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Cotista: 4,50% a 4,75%

Não cotista: 5,00% a 5,25%

  • Região Norte e Nordeste

Cotista: 4,25% a 4,50%

Não cotista: 4,75% a 5,00%

Grupo 2

  • Região Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Cotista: 5,00% a 6,50%

Não cotista: 5,50% a 7,00%

  • Região Norte e Nordeste

Cotista: 4,75% a 6,50%

Não cotista: 5,25% a 7,00%

Grupo 3

  • Região Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Cotista: 7,66%

Não cotista: 8,16%

  • Região Norte e Nordeste

Cotista: 7,66%

Não cotista: 8,16%

O que significa cotista e não cotista na taxa de juros?

Cotista é toda pessoa que trabalhou por pelo menos 3 anos sob o recolhimento do FGTS. Em outras palavras, são os trabalhadores CLT que receberam esse benefício, seja em um período corrido ou não e também através da mesma empresa ou não. Por outro lado, não cotista é quem não possui esse direito, seja pela ausência do benefício ou pelo regime trabalhista que ela participou.

Por que as taxas de juros do Casa Verde e Amarela são diferentes?

Diferença entre as taxas de juros Casa Verde e Amarela | Blog Alea

A mudança no valor da taxa de juros do programa é diferente para as regiões Norte e Nordeste do Brasil. Mas, você sabe porque isso acontece?

Como essas localizações representam o maior déficit habitacional do país, as taxas não poderiam ser as mesmas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Por exemplo, no Minha Casa Minha Vida, uma pessoa com renda de R$ 2,000 que mora em São Paulo e uma pessoa com a mesma quantia, mas que reside no Ceará, teriam que pagar o mesmo valor de taxa de juros.

Já no Casa Verde e Amarela, considerando as mudanças propostas pelo programa, a taxa de juros varia de acordo com a faixa de renda e a localização.

Também vale lembrar que um dos objetivos do Governo Federal, além de atender aproximadamente 1,6 milhões de famílias de baixa renda até 2024 é atuar na regularização fundiária e melhoria de residências. Em muitos casos, as pessoas vivem em moradias inadequadas para uso, e por isso o programa também possui essa meta.

Quais documentos devo entregar para participar do Casa Verde e Amarela?

Se você já conferiu todas as regras e pode participar do programa Casa Verde e Amarela, será necessário apresentar alguns documentos que comprovem essas informações aos bancos e instituições envolvidas. Além disso, se optar por utilizar o FGTS na compra, também deverá levar papéis que garantam o benefício. A seguir, confira quais são esses documentos:

  • Documentos de identificação, como o CPF e o RG;
  • Certidão de nascimento e de estado civil (casamento, divórcio ou união estável, por exemplo);
  • Extrato atualizado e original do FGTS;
  • Cópia da última Declaração do Imposto de Renda (IR);
  • Cópia do comprovante de endereço, atualizado há pelo menos 3 meses;
  • Carteira de Trabalho (CLT);
  • Se estiver em uma união estável, apresentar cópia da última Declaração do Imposto de Renda do parceiro.

Por fim, é importante lembrar que os documentos que são solicitados podem variar de acordo com o banco e construtora escolhidos para realizar o financiamento. Por isso, sempre consulte essas instituições para saber o que você deve ou não apresentar.

Entenda as mudanças do programa Casa Verde e Amarela

Além da mudança na taxa de juros e nas faixas de renda, o Casa Verde e Amarela também contou com mais algumas novidades: aumento do valor máximo dos imóveis e redução de juros de famílias com renda mensal até R$ 2.400.

Aumento do valor máximo dos imóveis

Agora, também é possível que o financiamento seja realizado com o aumento do valor do imóvel. Por outro lado, o preço final da casa em questão cresce em 10%. Em outras palavras, digamos que anteriormente só era possível realizar o financiamento de um imóvel que custasse no máximo R$ 200 mil. Entretanto, com a adição da porcentagem, agora é possível comprar um empreendimento que pode custar R$ 220 mil.

Contudo, esse ajuste não se aplica para cidades que tenham a população em torno de 50 mil a 100 mil habitantes. Neste caso, a porcentagem totaliza 15%. Seguindo o mesmo exemplo anterior, agora seria possível financiar um imóvel de até R$ 230 mil.

Redução das taxas de juros de famílias com renda mensal até R$ 2.400

No Minha Casa Minha Vida, as taxas de juros cobradas para famílias com renda mensal de até R$ 2.400 eram de forma diferente, e com o novo programa essa mudança chegou ao fim. Ou seja, todas as famílias com essa renda terão acesso à mesma taxa de juros.

Conheça os benefícios do programa Casa Verde e Amarela

Benefícios do Casa Verde e Amarela | Blog Alea

Sabemos que a mudança das taxas de juros e das faixas de renda na nova atualização são alguns benefícios do programa Casa Verde e Amarela, mas o PCVA também manteve as principais vantagens do Minha Casa Minha Vida: o subsídio, a composição de renda e o uso do FGTS no pagamento das parcelas.

A seguir, conheça os detalhes de cada um desses benefícios no Casa Verde e Amarela:

Subsídio

O subsídio é uma quantia oferecida pelo Governo Federal para pagar uma parte do valor total do financiamento. Para exemplificar, digamos que você faça um financiamento de R$ 200 mil e consiga um subsídio de R$ 30 mil. Com isso, você irá pagar R$ 170 mil, e o Governo custeará o restante. Além disso, você não vai precisar devolver ou quitar essa quantia de volta.

Como saber se tenho direito ao subsídio?

Quem tem direito ao subsídio são todas as pessoas que se encaixam em uma das faixas de renda que permitem essa vantagem. Sabendo disso, confira abaixo qual o valor de subsídio que é disponibilizado para os grupos do Casa Verde e Amarela:

Grupo 1

As famílias que possuem renda mensal bruta de até R$ 2.400,00 tem direito a um subsídio de até R$ 47.500,00.

Grupo 2

As famílias que possuem renda mensal bruta de R$ 2.400,01 a R$ 4.400,00 tem direito a um subsídio de até R$ 29.000,00

Grupo 3

As famílias que possuem renda mensal bruta de R$ 4.400,01 a R$ 8.000,00 não tem direito ao subsídio.

Composição de renda

Digamos que você fez as contas e concluiu que não possui renda suficiente para fazer o financiamento do programa Casa Verde e Amarela. Porém, existe uma solução para esse problema: é o que chamamos de composição de renda!

O que é composição de renda | Blog Alea

A composição de renda permite que seja possível somar a sua renda mensal bruta, isso é, todo o valor dos seus rendimentos mensais com a de outra pessoa. Para esclarecer, você pode convidar pai, mãe, esposa, marido, filhos, avós, tios, primos, sobrinhos, noivo, noiva, namorado, namorada, madrinha, padrinho, madrasta, padrasto e demais familiares para aumentar a renda e assim, ter mais chances de ser aprovado no financiamento e até mesmo a possibilidade de financiar um valor maior para o imóvel que você escolher.

Quais as regras para usar a composição de renda?

A princípio, quando você dá entrada no financiamento, os bancos e instituições envolvidas avaliam as suas condições e principalmente se você vai conseguir arcar com o valor das parcelas com o passar dos anos. Além disso, só é permitido comprometer até 30% do total dos seus rendimentos mensais, e com isso, ela não será aceita se for abaixo do estipulado nos grupos de renda. Por exemplo, se você ganha R$ 1.500,00 por mês, só poderá pagar parcelas de até R$ 450,00.

Apesar da composição de renda ser um benefício, é preciso estar ciente de que as pessoas que você convidar também serão donos do imóvel. Ou seja, todos serão responsáveis e as decisões deverão ser tomadas em conjunto. Ademais, o banco também exige que:

  • A análise de risco seja feita para todas as pessoas que participarem do financiamento. Por isso, todos devem estar em dia com as suas contas, evitando pendências financeiras;
  • A localização do imóvel deve ser na cidade ou local de trabalho de todos os envolvidos na composição de renda há pelo menos um ano;
  • Todos devem ser brasileiros, maiores de idade e não podem estar registrados em órgãos de proteção ao crédito.

Uso do FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, mais conhecido como FGTS pode ser utilizado para muitas finalidades: pagamento de dívidas, reserva de emergência, para iniciar um novo negócio e por aí vai. Mas você sabia que ele também pode te ajudar a pagar as parcelas do seu financiamento imobiliário? Vamos te explicar detalhe por detalhe!

É possível contar com o valor do FGTS para dar a entrada na sua casa própria, caso você não tenha essa quantia em mãos. Com isso, você consegue aderir ao financiamento do programa Casa Verde e Amarela de forma mais facilitada.

Na mesma linha, você também pode usar o fundo de garantia nas parcelas do financiamento: reduzindo o custo total em até 80%, amortizando o saldo devedor, isso é, diminuir o valor final e subtrair a quantidade de parcelas. Resumindo, todas essas possibilidades tornam o seu financiamento mais barato.

Quais as regras para usar o FGTS no Casa Verde e Amarela?

Contudo, para ter direito ao uso do FGTS no financiamento Casa Verde e Amarela, você precisa estar dentro dos requisitos exigidos, que são:

  • Ter no mínimo três anos de trabalho com carteira assinada (em período contínuo ou não);
  • Não possuir nenhum outro financiamento imobiliário ativo, que esteja cadastrado no Sistema Financeiro de Habitação, o SFH;
  • Não ter imóvel registrado em seu nome, seja na cidade aonde você trabalha ou mora;
  • É necessário que você seja o titular do imóvel que deseja adquirir.

Para autônomos, você precisa apresentar uma declaração do órgão gestor ou comprovante de sindicato.

Como comprar uma casa em condomínio pelo Casa Verde e Amarela

Como comprar uma casa Alea | Blog Alea

Se você viu que se encaixa nas regras do programa Casa Verde e Amarela e deseja realizar o financiamento, saiba que ele pode ser um grande aliado para te ajudar a economizar e sair do aluguel! Com o financiamento imobiliário, você pode começar a morar na sua casa sem precisar pagar tudo de uma vez, afinal, o prazo para pagamento é estendido, podendo durar até 35 anos.

Os requisitos do financiamento são: ser brasileiro, acima de 18 anos, se encaixar em um dos grupos de renda estabelecidos pelo PCVA, não possuir imóvel próprio e também nunca ter recebido algum benefício do Governo.

Para participar do financiamento Casa Verde e Amarela, após identificar se você está dentro dos requisitos, você precisa separar toda a documentação exigida e aguardar a análise que o banco ou construtora irão fazer. E qual o primeiro passo para dar início a esse processo? Falar com a gente, é claro!

A Alea acredita que a conquista da casa própria está ao seu alcance, e por isso, facilitamos todo o processo para você. Ademais, também somos parceiros do Casa Verde e Amarela, então aqui você conta com todas as vantagens que aprendeu neste conteúdo. Que tal saber um pouco mais sobre como podemos te ajudar?

Conheça a Alea

Alea nasceu com o propósito de proporcionar para você a oportunidade de morar em um condomínio de casas com segurança, conforto e qualidade de vida. Todos os residenciais priorizam um grande contato com a natureza e oferecem a liberdade de viver em espaços amplos, abertos e ao ar livre.

São casas não geminadas e sem muros, em condomínios fechados que contam com projetos arquitetônicos e de paisagismo, focados no seu bem estar. Além de uma nova forma de morar, a Alea se diferencia pelo alto padrão e tecnologia, pois possui um método construtivo internacionalmente reconhecido, o wood frame. Todas as casas possuem paredes com 8 camadas, que entregam resistência, durabilidade, conforto térmico e acústico.

Aquele seu sonho de morar em um condomínio de casas agora pode se tornar realidade. A Alea é uma das grandes parceiras do Casa Verde e Amarela, por esse motivo, você pode usar todas as vantagens e benefícios do programa no financiamento da sua casa. Vem escolher a sua!

Escrito por:

Autor do post | Logo Alea | Condomínio de casas | Casas Alea

A casa dos seus sonhos. Possível. Acessível. Viável.

Saia do aluguel e conquiste a sua Alea. Dê o primeiro passo agora!

Ops! Precisamos saber sua região.
Ops! Precisamos saber seu nome.
Ops! Precisamos saber seu WhatsApp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.